Neuroplasticidade

         “Não se pode acreditar em coisas impossíveis”, disse Alice. “Isso é falta de treino”, disse a Rainha (Lewis Carol em Alice no País das Maravilhas).

 

         Detectar estímulos físicos e químicos externos e internos e desencadear respostas musculares e glandulares, integrando o organismo ao meio ambiente.

         Essa é a função principal do sistema nervoso, formado por células, os neurônios, que se interconectam de forma específica e precisa formando os circuitos neurais, que capacitam o organismo a produzir respostas frente a estímulos sensoriais.

         Essas respostas ocorrem na forma de comportamentos estereotipados e invariáveis, os reflexos, ou variáveis, esperáveis ou não.

 

 

          Neurônios são células que constituem as unidades elementares na transmissão de sinais e são formados pelo núcleo e pelo citoplasma que se apresenta na forma de prolongamentos ou ramificações, os dendritos e os axônios.

        As conexões são decorrentes de estímulos externos (originados a partir do ambiente) ou internos (originados no interior do organismo) e acontecem através das ramificações e obedecem aos seguintes princípios gerais:

         1) As conexões que um neurônio estabelece com outro são altamente específicas.

       2) Em todas as espécies de animais os neurônios se conectam segundo padrões bem definidos, obedientes à organização geral característica da espécie à qual o animal pertence.

         3) Salvo raras exceções, a informação trafega na mesma direção: entra pelos dendritos e vai na direção do axônio.

     4) Nos circuitos, o contato entre dois neurônios ocorre apenas em pontos chamados de sinapses, que são na realidade diminutos espaços vazios entre os neurônios e que são responsáveis pelas trocas de impulsos nervosos entre o sistema nervoso e todos os outros tecidos do organismo.

       Comportamento, sensibilidade, mobilidade, equilíbrio, dor, etc. são todas características possíveis pela existência das sinapses.

        Neuroplasticidade, plasticidade neural ou neuronal, ou ainda de fenômeno neuroplástico é uma característica de todo ser vivo dotado de sistema nervoso e que o torna capaz de modificar o seu comportamento em função de experiências vividas, ou seja, á capaz de apresentar aprendizado.

 

Resumo do processo

         Após serem estimulados, os neurônios produzem impulsos elétricos e liberam substâncias químicas, os neurotransmissores, que ao serem lançadas nas sinapses estabelecem conexões entre eles e, a cada novo estímulo, a rede de neurônios se recompõe e reorganiza, possibilitando enorme diversidade de respostas.

     Os sinais moleculares que orientam a maturação dos neurônios, sua migração para formar circuitos e a arquitetura das sinapses, começam a ocorrer na vida intra-uterina, bem antes de o embrião exibir sinais de atividade neural. Nessa fase, a organização obedece exclusivamente ao comando do programa genético.

       No entanto, para que esses circuitos desenvolvam toda a sua potencialidade são imprescindíveis os estímulos ambientais, uma vez que a experiência exerce impacto decisivo na organização das redes neuronais; sem ela, o sistema nervoso não atinge sua maturidade.

     Neuroplasticidade pode ser definida como a capacidade de reorganização do sistema nervoso pela propriedade que os neurônios têm de modificar sinapses ou de formar novas conexões a cada momento, seja por aprendizado, seja por recuperação de lesão.

        Por esse motivo é possível que ocorra recuperação de pessoas que sofreram acidentes com perda de massa encefálica, que resultaram em déficits motores, visuais, de fala e audição, ou de pessoas que sofreram acidentes vasculares cerebrais, com seqüelas parecidas.

         A neuroplasticidade não é exclusiva de processos patológicos, mas ocorre a todo o momento, em todas as funções orgânicas, em conseqüência da interação com o meio ambiente. As modificações sinápticas, ou novas sinapses que ocorrem durante o processo de aprendizado são exemplos de neuroplasticidade.

 

Neuroplasticidade como instrumento de terapia

        O fenômeno neuroplástico é uma janela que deve ser considerada em processos de reabilitação para pacientes portadores de diversos tipos de doenças, visto que é uma característica única do sistema nervoso em comparação a outros sistemas orgânicos, que permite o desenvolvimento de modificações estruturais em resposta à experiência e como adaptação a condições variáveis e a estímulos repetidos.

 

“Ninguém nasceu aprendido e se não se aprende, não se é” (Passarão, 70 anos, ex-garimpeiro e hoje filósofo e “plantador” de peixes no interior de MG, em 11/05/07).

 

Endereço

Telefone : (16) 3623.7888

Emai: narcisapavan@gmail.com

Fale Conosco

© 2013. Narcisa Pavan desenvolvido por Marcos Roberto

  • youtube_icon.png